Competitividade, eficiência e segurança

Cotação online Sua carga

Novidades

Obras foram interrompidas e não há previsão de retomada

O Ministério dos Transportes suspendeu obras no país por falta de recursos e não tem previsão de retomá-las, afirmou nesta quarta-feira (29) o ministro dos Transportes, Antonio Carlos Rodrigues, em audiência na Comissão de Infraestrutura do Senado.

Segundo o ministro, a interrupção das obras ocorreu em meio ao impacto do ajuste fiscal sendo promovido pelo governo federal e consequências da Operação Lava Jato, da Polícia Federal, em que várias empreeiteiras já se viram obrigadas a entrar em recuperação judicial, informa a Agência Reuters.

"Vai haver várias reclamações dos senhores sobre paralisação de obras. Parou, sim! Eu não vim aqui, não há cortina de fumaça, eu não posso esconder o que está acontecendo no Ministério", disse o ministro a senadores que o convocaram para discutir o impacto do ajuste fiscal nos investimentos do Ministério dos Transportes.

Entre as obras paralisadas estão as da rodovia BR-153 no trecho entre Anápolis (GO) e Aliança do Tocantins (TO). Envolvida na Lava Jato, a construtora Galvão Engenharia ainda não teve acesso a um empréstimo inicial do BNDES, de cerca de de R$ 400 milhões, e chegou a demitir aproximadamente 400 trabalhadores, segundo informações da Agência Senado.

Por falta de repasses outras obras de infraestrutura também estão atrasadas ou paralisadas.

Cobrança de empreiteiras
Rodrigues falou que até agora "não sabe quanto pode gastar" e que "a grande preocupação nossa hoje é ter recursos para manutenção (...) Eu nunca esperava chegar ao início de maio sem saber o que tenho de recursos".

O ministro comentou ainda aos senadores que vem sendo cobrado por empreiteiras sobre o pagamento de obras do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) e da estatal ferroviária Valec.

"Assusta receber um telefonema falando: 'Ou você me paga hoje – e eu não tenho – ou vai parar a obra tal.' Os telefonemas que eu recebo e as visitas que eu estou recebendo nesse período de quatro meses é apenas reclamação por falta de dinheiro e a falta de estabilidade que estamos tendo", disse o ministro.

O ministro espera que sejam liberados R$ 13,6 bilhões para dar continuidade aos projetos.

Concessões
Sobre as novas concessões, Rodrigues disse que o modelo não está definido, mas que pode incorporar parâmetros de outros governo. "O que foi bom no passado pode ser feito agora. Não temos definições. Estamos estudando", disse.

 

Segundo Jorge Luiz Macedo Bastos, diretor-geral da Agencia Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), a estimativa é de que sejam investidos R$ 5 bilhões em concessões de rodovias em 2015. Esse valor pode chegar a R$ 20 bilhões nos próximos anos.

Fonte: G1 - Economia.

Mais novidades